segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Nota publicada no Facebook quase transforma em tragédia possível acidente com Xexéu

“QUE COVARDIA!!!! Esse pobre coitado - (a foto está ruim, mas acho que todo mundo conhece ele) -, figura conhece ele) -, figura folclórica aqui em Cataguases, saiu de sua casa no Bairro Guanabara, numa sexta-feira, e não voltou. No domingo a família foi procurada por policiais informando que ele havia sido espancado e jogado dentro de um poço desativado, mas ainda com água, no Bairro Pouso Alegre. O pobre coitado não morreu, mas a tortura foi tão brutal que ele ficou cego. Que absurdo!!! Que covardia!!!

Mas nós vamos ficar de braços cruzados, sem fazer nada, sem exigir providências de nossas autoridades???? Não!!! Exigimos a apuração desse triste fato. Precisamos descobrir os autores!!!! SUA AJUDA É IMPORTANTE. Por favor, COMPARTILHE esta nota!!!!!
Folclórica aqui em Cataguases, saiu de sua casa no Bairro Guanabara, numa sexta-feira, e não voltou. No domingo a família foi procurada por policiais informando que ele havia sido espancado e jogado dentro de um poço desativado, mas ainda com água, no Bairro Pouso Alegre. O pobre coitado não morreu, mas a tortura foi tão brutal que ele ficou cego. Que absurdo!!! Que covardia!!!
Mas nós vamos ficar de braços cruzados, sem fazer nada, sem exigir providências de nossas autoridades??? Não!!! Exigimos a apuração desse triste fato. Precisamos descobrir os autores!!! SUA AJUDA É IMPORTANTE. Por favor, COMPARTILHE esta nota!!!”

Este comentário indignado e revoltado foi postado e compartilhado (ou seja, quem o leu também o postou, criando assim uma grande rede de divulgação do fato) no site de relacionamentos Facebook, no último final de semana. A “notícia” causou um verdadeiro rebuliço entre os internautas, o que é comum quando algo supostamente sério ali é publicado. Neste caso, especificamente, a “vÍtima” é o Xexéu, uma pessoa com problemas mentais muito conhecida dos cataguasenses porque vivia perambulando pelas ruas da cidade, sem rumo e sem incomodar ninguém. Certamente por causa de sua popularidade e de seu jeito inofensivo de ser, o fato despertou diversos sentimentos como pode-se perceber lendo os comentários no próprio Facebook, sendo os mais comuns a raiva, indignação, piedade e desejo de justiça.

Dona Maria, mãe e quem
cuida de Xexéu.
Mas, afinal, o que aconteceu com Xexéu? Ele teria sido mesmo vítima de espancamento ou tudo isso não passa de invencionice para chamar a atenção das pessoas? E onde está Xexéu? O Blog do Marcelo Lopes foi procurar resposta para estas perguntas. Com a ajuda dos policiais da 146ª Companhia Especial de Polícia Militar em Cataguases, localizou Xexéu e seus familiares na rua Teófilo Almeida, no alto do Bairro Guanabara, numa casinha simples e escura onde passa seus dias ao lado de seus irmãos (dez no total), sobrinhos e da mãe, Maria da Penha Caetanto, uma viúva de 68 anos de idade.

Jorge Luiz Tomáz, de 52 anos, é Xexéu. Desde criança sofre de uma doença mental e foi criado solto pelas ruas por conta de sua rebeldia ao desejo dos pais de mantê-lo a maior parte do tempo em casa, revela a mãe, dona Maria. “Com o tempo ele ficou conhecido das pessoas que “pegaram” carinho por ele e tratavam bem. Nunca ninguém judiou dele na rua. Ao contrário, as pessoas traziam ele de volta para casa” (sic), diz em voz baixa e com tranquilidade.

Apesar de todos os problemas que
enfrenta, Xexéu sorri para a foto
Xexéu vivia assim até o início deste ano quando em fevereiro “eu acho, né?, porque não lembro direito”, revela a mãe pedindo ajuda – em vão - da filha - em vão para recordar a data. Naquele dia Xexéu saiu de casa, como de costume, e só voltou na manhã seguinte, machucado e molhado, trazido pela PM. Os policiais o encontraram caído dentro do ribeirão Meia Pataca, próximo à Escola Municipal Turminha da Mônica. “A polícia disse que encontraram ele por volta das cinco horas da manhã, consciente, batendo queixo e machucado no rosto, nas pernas e o olho roxo” contou. Em seguida foi levado ao hospital para ser medicado e fazer os curativos voltando para casa imediatamente.

As feridas no corpo cicatrizaram logo, mas o problema maior ainda estava para acontecer. Segundo lembra dona Maria Caetano, “pouco tempo depois, acho que um mês mais ou menos, meu filho parou de enxergar e até hoje não recuperou a visão. Não sei se foi por causa do acontecido aquele dia no Pouso Alegre”, acrescenta resignada. Desde então Xexéu não sai mais de casa e precisa da ajuda de outra pessoa para comer, beber água, dormir, tomar seus remédios, ir de um lugar ao outro dentro de casa e fazer sua higiene pessoal. “Eu que cuido dele”, diz a mãe, com a voz sempre baixa e serena, acrescentando em seguida: “Mas sempre que meus filhos podem, também ajudam”.

A família tentou descobrir o que aconteceu com Xexéu, mas não conseguiu uma resposta definitiva. Segundo dona Maria, “a polícia disse que não descobriu nada, mas não acha que ele tenha sido espancado”, revela. Com base no relato de dona Maria há duas hipóteses para o que teria acontecido com Xexéu. A primeira e mais improvável seria um espancamento, principalmente porque nunca ocorrera até aquela data um fato de violência contra ele. A segunda é a de que estaria andando à margem do Meia Pataca, à noite, e se desequilibrou caindo na água. Escuro e assustado com a queda é bem provável que tenha se apavorado e ficado nervoso, inclusive com medo de morrer afogado, o que também teria impedido que ele conseguisse gritar por ajuda. Assim, pode ter ficado debatendo-se na água durante horas, querendo sair do ribeirão. Por causa destes movimentos e do estado de pânico que tomou conta dele feriu o corpo e o olho.

16 comentários:

  1. Que conversinha pra boi dormir hein ? Essa foi forçada demais , apelou na historinha . Nem criança de 5 anos acredita nisso, " de tanto se debater na água machucou o olho e o corpo " , poxa podia ter caprichado mais na mentira , tipo as piranhas do rio comeram o olho dele , ou o caboclo d'água atacou ele....Fala sério...Tem bobo aqui não...

    ResponderExcluir
  2. Este Blog é mesmo ingênuo e inocente.

    ResponderExcluir
  3. Realmente,é bem difícil ele ter batido tanto até se machucado a ponto de ferir o olho e deixar hematomas. Mas também não é impossível, devemos levar isso em conta.Mas parabéns pela perfeita materia, muito bem pesquisada. Agora é pedir a Deus, para que consigam descobrir o que realemtne aconteceu.

    http://www.overdosedeamores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oque foi postado e foi confirmado aqui é que não teve investigação nenhuma...Acho que todos os cataguasenses e todo ser humano de bom coração esta rezando para que realmente seja esse papo de acidente...Quando a vitima é RICA descobre rapidinho oque aconteceu né???Mas como você mesmo viu a situação que a família vive ai demora um pouquinho mais né.Se não fosse a nota postada no Face não estaria dando essa repercussão toda e você uma pessoa tão bem informada talvez não ficaria sabendo...E se já sabia porque só agora a noticia aqui???

    ResponderExcluir
  5. Parece que você não leu a notícia com a devida atenção. Está lá escrito que foi a nota publicada no Facebook que motivou o blog a apurar os fatos. Ou seja: não sabia da existência deste fato. Que bom que o Facebook tornou público uma situação como esta. Que venham outras e, assim, possamos trazer à luz fatos como este, de pessoas humildes, que normalmente ficariam "esquecidos".

    ResponderExcluir
  6. Intriga da oposição, nínguem pode ver uma materia bem relatada que tem que colocar defeito. Sua parte você fez que foi nos dar informações, mas agora descobrir quem foi é complicado né.Infelismente é assim mesmo, se fosse um rico o caso já estaria resolvido, mas como é um de família pobre, nada se foi feito até hoje. Mas fazer o que né. É a realidade do nosso Brasil.

    http://www.overdosedeamores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. O Xexéu é uma das figuras folclóricas de nossa cidade, assim como o "Zezé Caroço" e tantos outros. Pensar que alguém possa ter agido de forma tão hostil e violenta com este ser humano é de arrepiar. Disso tudo fica a pergunta: "Como temos cuidado de nossos doentes mentais? O que tem sido feito está atendendo as demandas desta população com necessidades tão peculiares?" E as famílias, tem sido atendidas? Fica aqui a reflexão. Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Sem dúvidas, a matéria é muito boa! Mostra que você foi mesmo apurar os fatos. Agora, se essa história do acidente é verdade ou historinha pra boi dormir, já não é com você. Você fez (e muito bem) sua parte de jornalista. E nos repassou todas as informações passadas pela família dele.
    Parabéns pelo Blog =)

    ResponderExcluir
  9. Saí de Cataguases há 16 anos, moro em Juiz de Fora, mas sou Cataguasense e lembro muito bem do Xexeum.
    Xexeu como a conhecida Maria Macarrão,já falecida, fazem parte da história de Cataguases.
    Covardia o que fizeram com o Xexeu, precisamos sim de uma solução para este caso.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, realmente nem tinha dado conta de seu "sumisso" pelas ruas, coitado q Deus lhe dê alívio, paciência e sabedoria a mãe e irmãos estimo Melhoras.
    Deixo aqui tb claro q ñ acredito em acidente.

    ResponderExcluir
  11. estranho esse fato de se machucar sozinho , pobre fica so na hipossé , investigaçao so pra rico.

    ResponderExcluir
  12. Se tivessem feito um exame de corpo de delito a verdade viria a tona imediatamente

    ResponderExcluir
  13. ACHO QUE A POLICIA DEVERIA INVESTIGAR MAIS PORQUE SE FOI MESMO VITIMA DE VIOLÊNCIA ISSO NÂO PODE FICAR IMPUNE ,XEXEU NUNCA FEZ MAL A NINGUEM,ATÈ PELO CONTRARIO TODOS NòS ELE CHAMA DE PAI E MÂE,O IMPORTANTE AGORA È ELE SE TRATAR E VOLTAR A SER O NOSSO QUERIDO XEXEU,PARABÈNS MARCELO PELO BLOG

    ResponderExcluir
  14. Joaquim de Almeida Lopes26 de outubro de 2011 09:53

    O caso Xexéu torna-se um tanto dificultoso a sua definição, em virtude da sua impossibilidade de se expressar com a devida clareza. Minha família, que reside na Granjaria, tem conhecimento da vida de Xexéu e dos seu procedimentos. Trata-se de pessoa pobre, com problemas mentais brandos, ou seja, sem jamais ter agredido alguém, deficiência visual e deficiência para se locomover. Enfim, quem o conhece pode testemunhar esta narrativa. Acredito que o mesmo tenha se desequilibrado e caído naquele local descrito nesta matéria. É sabido que a minha família sempre o tratou com o devida atenção, carinho, alimento, onde ele sempre esteve sentado, no degráu da nossa porta... Nossa cidade tem vários casos dessa natureza, como todos sabem, o caso de Solange, que também mora lá para aquelas bandas e se porta de maneira quase idêntica. O que está faltando é o apoio da autoridades competentes para atender casos análogos, não só para isentar a população de tais transtornos e sim, porque isso é um dever da esfera governamental. Assim penso.

    ResponderExcluir
  15. Se fosse uma pessoa "rica" jamais inventariam essa baboseira de que caiu sozinho no rio e ficou se debatendo (a ponto de causar hematomas e até cegueira em si proprio)....pra mim essa história de acidente é conversa pra boi dormir...ou será que quem inventou conhece ou autor do "crime"????

    ResponderExcluir
  16. muito triste saber uma noticia de um cataguasense sem maldade,inofencivo ser espancado,isto tem que acabar,e aparecer os culpados .ter a puniçao que merece .conheci xexeu de vista .nunca fez mal a ninguém.
    quem será o covarde que fez isto??????

    ResponderExcluir